Alimentação Equilibrada

A alimentação e tudo o que comemos irá determinar não apenas o nosso peso mas, sobretudo, a nossa saúde. É necessário ter consciência da necessidade de adotarmos uma alimentação equilibrada, e da sua influência na qualidade da nossa vida.
Importância de uma alimentação equilibrada

Os alimentos são, como sabemos, condição única e essencial para a manutenção da vida. Sem uma dieta equilibrada, tanto em quantidade como em variedade, o organismo não se desenvolve corretamente e não dispõe de resistências (reservas nutricionais) para lutar ativamente contra determinadas doenças, podendo levar ao envelhecimento precoce e à perda de qualidade de vida.

 

A alimentação deve ser variada, de forma a fornecer equilibradamente todos os nutrientes necessários à vida (vitaminas, sais minerais, proteínas, hidratos de carbono. lípidos e água).

 

Os nutrientes essenciais são fornecidos pelos alimentos que ingerimos. Estes dividem-se em três grandes grupos, dependendo da função que desempenham no nosso corpo.

 

  • Alimentos construtores: São responsáveis pela renovação e construção de tecidos que se desgastam com o funcionamento diário. São ricos em proteínas e sais minerais (leite e derivados, carne, peixe, ovos).
  • Alimentos energéticos: são fundamentais para fornecer a energia que necessitamos em todas as nossas atividades, incluindo quando dormimos. São indispensáveis ao nosso organismo e estão presentes em alimentos como o pão, os frutos secos, os legumes, a massa, o arroz, etc.
  • Alimentos reguladores: contribuem para que o organismo funcione corretamente e se mantenha saudável. As vitaminas, sais minerais e água presentes nos alimentos como o leite, verduras e fruta, encontram-se neste grupo.

 

A ingestão diária de alimentos destes três grupos, nas quantidades adequadas, é essencial para a adoção de uma alimentação equilibrada e um passo dado para um estilo de vida mais saudável.

 

 

Uma dieta equilibrada deve ser adequada a cada pessoa

 

Uma dieta diária, para ser equilibrada, deve ser adequada às características e hábitos de cada pessoa. A quantidade de alimentos essenciais para a saúde, depende de fatores muito importantes, tais como:

 

  • Idade: as necessidades nutricionais variam consoante a idade, sendo diferentes na fase de crescimento, na idade adulta e na terceira idade. Por essa razão, é necessário ir adaptando a alimentação ao longo da vida de modo a adotar uma dieta equilibrada que seja adequada a cada etapa.
  • Sexo: também o género deverá ser tido em conta na definição de uma alimentação equilibrada. Isto porque, devido à sua constituição, os homens necessitam por norma de um consumo de energia mais elevado do que as mulheres.
  • Actividade física: a prática ou não de exercício físico regular é outro factor a ponderar, tendo em conta o gasto de energia associado – um atleta de elite gasta mais energia do que uma pessoa sedentária.
  • Situação clínica: a definição de uma dieta equilibrada deve ser ainda mais ponderada em caso de doença. Deve-se agir com muito cuidado, uma vez que um desequilíbrio nutricional, nestas circunstâncias, pode agravar a situação.

 

 

Relação entre alimentação e saúde: um facto comprovado

Ao longo da história da humanidade, sempre houve mitos e lendas acerca da relação entre a alimentação e a saúde, atribuindo-se propriedades curativas a determinados alimentos.

 

Estas crenças têm-nos acompanhado até aos nossos dias, mantendo-se a ideia de que certos alimentos têm propriedades milagrosas sobre a saúde e que outros são prejudiciais.

 

A verdade é que as investigações atuais indicam que a fibra, o azeite virgem, os ácidos gordos da série ómega 3 e as vitaminas são alimentos benéficos, sendo absolutamente recomendável incluí-los na nossa alimentação.

 

 

Fonte: Cofina media